Salmo 19 - Breve Análise

Por Paulo Dib
 
Faço aqui uma breve análise do Salmo 19. De todos os Salmos, esse é um dos meus favoritos, pois mostra a grandeza e a soberania de Deus sobre todas as coisas criadas.

A criação, sem expressar uma palavra sequer aponta para a Grandeza do Criador. De forma inaudível canta louvores ao Senhor de todo o universo.

1.Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.


Ao simplesmente olharmos para o céu acima de nossas cabeças já temos uma colossal declaração da glória de Deus, pois quem seria capaz de criar algo de tamanha magnitude? Qual ser teria condições de fazer incontáveis planetas, estrelas, corpos celestes e galáxias sem fim?

Somente aquele que é eterno e possui os atributos da Onipotência e Sabedoria teria tais condições!

Os versículos de 2 a 6, de maneira poética, nos falam de como a criação, incessantemente louva ao Senhor. O simples existir da criação mostra a grandiosidade do Criador.

A Contagem do tempo, dias e noites, que se dá de maneira natural e silenciosa mostra o cuidado do Pai para com suas criaturas, visto que seria impossível a existência de vida caso não tivéssemos dia e noite, estações e chuvas.


2. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.

3. Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz.

4. A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol,

5. O qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho.

6. A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor.


Nos quatro versículos seguintes (7-10) nós podemos observar a natureza de Deus assim como os benefícios e valores de Sua Palavra.

7. A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices.

Aqui a lei é um termo geral para a vontade revelada de Deus, cujo objetivo é direcionar o homem a um correto relacionamento com Ele.

O Testemunho do Senhor se refere à veracidade da Palavra que nos dá um testemunho fiel de seu caráter. O estudo desta Palavra produz vida no interior de quem a recebe e sabedoria para um viver santo.

8.Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro, e ilumina os olhos.

Os preceitos são regras específicas a respeito da vida em retidão, vida esta que é uma alegria para aqueles que foram justificados. Nossos olhos são abertos pela pureza dos mandamentos de Deus.

9. O temor do SENHOR é limpo, e permanece eternamente; os juízos do SENHOR são verdadeiros e justos juntamente.


A forma mais eficaz de cumprirmos os preceitos e mandamentos do nosso Pai é através do temor do Senhor. Lembrando que temor, em hipótese alguma, se refere a termos medo de Deus, mas sim de termos uma posição de retidão em amor. Temor consiste em aborrecer o mal (Pv 8.13), em outras palavras, “significa termos permanentemente para com o pecado a mesma atitude que Deus tem1 , intolerância, sem concessões.


10. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos.

Para o ímpio pode parecer um jugo guardarmos os mandamentos de Deus, mas para aqueles que são gratos pela salvação e compreendem o senhorio de Cristo sobre suas vidas é algo abundantemente prazeroso.

11.Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa.

Embora a recompensa não deva ser a nossa motivação em guardarmos os mandamentos do Senhor, é liquido e certo que há recompensa para aqueles que andam retamente.

12. Quem pode entender os seus erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos.

O crente sincero de coração tem o temor do Senhor dentro de si, procurando amar a Deus de toda a alma e entendimento. No entanto, pelo fato de ainda estar nesta terra e ser imperfeito, o crente pode estar em desobediência à vontade de Deus sem ter ciência de tal fato. Daí a necessidade de se buscar o perdão por pecados que estejam ocultos.

Ressalve-se ainda o fato de somente aquele que é Onipresente e Onisciente tem a capacidade e a retidão moral de julgar os nossos erros.


13. Também da soberba guarda o teu servo, para que se não assenhorie de mim. Então serei sincero, e ficarei limpo de grande transgressão.

O crente sincero busca também um coração reto, livre da soberba. E, infelizmente, como é fácil a soberba aparecer, mesmo nas pequenas coisas! Ela vem de mansinho e, se não tomarmos as devidas precauções (humildade), ela certamente se assenhorará de nosso coração e nos afastará de um relacionamento sincero com o Pai.


14. Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, SENHOR, Rocha minha e Redentor meu!

A forma mais justa de reconhecermos e agradecermos a Deus pela obra da salvação consiste em clamarmos sempre ao Senhor, para que Ele mantenha nosso coração, nossas palavras e nossas vidas livres da inclinação ao pecado e agradáveis a Ele. Nossos sentimentos e pensamentos, ou o nosso meditar no coração e a reflexão em nossa mente devem ser aceitáveis a Deus.

1. Dawson, Joy - Intimidade com Deus no Temor do Senhor

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Cristão Protestante Reformado, membro da 1.ª IPI - Limeira-SP. Graduado em Tecnologia em Processamento de Dados pela FATEC (Unesp). Hoje trabalho como consultor em negócios imobiliários. Pós-graduado em Especialização em Estudos Teológicos, pela Mackenzie (CPAJ). Falo Inglês muito bem e espanhol porcamente. Sou muito bem casado e tenho dois filhos maravilhosos.

Seguidores

Twitter

Ocorreu um erro neste gadget

Siga por e-mail

Sobre este blog