A Verdadeira Felicidade - uma vida com Deus

Por Paulo Dib



Muitas pessoas já fizeram a seguinte pergunta: “O que é felicidade?”.

Muitos não sabem ou não souberam responder. Outros tantos deram repostas das mais variadas possíveis:

- "Felicidade é Dinheiro no bolso"

- "Felicidade é ter uma vida bem sucedida"

- "Felicidade é ter uma família grande e unida"

- "Felicidade é não ter problemas"

- "Felicidade é ter saúde"

- "Dinheiro não traz felicidade, mas manda trazer…"

Enfim, cada um idealiza um perfil de felicidade. Geralmente esse perfil contempla posses materiais ou o gozo dos chamados “prazeres da carne”.

No entanto, esses tipos de “felicidades” não são reais, uma vez que todos eles são efêmeros, perecíveis ou corruptíveis. A felicidade proporcionada pelos “prazeres da carne” dura alguns instantes, mas logo se vai, e logo volta o vazio interior. É uma felicidade passageira. É o que geralmente causa os vícios e compulsões, visto a necessidade de preencher esse vazio de novo, de novo e de novo…

O dinheiro e as posses materiais são semelhantes aos prazeres da carne, trazem bem estar por algum tempo, mas essa sensação logo passa.

Tão logo a sensação de “felicidade” proporcionada pelo dinheiro e pelas posses se vai, tão logo fica um vazio interior novamente. Esse vazio tem que ser preenchido. É a partir daí que se abre espaço para a ganância, para a busca desenfreada por dinheiro e bens. É algo que nunca tem fim. Quem tem como ideal de felicidade o vil metal nunca alcança contentamento. Quanto mais tem, quanto mais quer.

Alguns até tentam ser “humildes” e traçam uma meta: “Quando eu tiver tantos mil reais, daí sim estarei satisfeito”. Durante o percurso para se alcançar a meta a pessoa fica “feliz” pela motivação de alcançar a meta desejada. O problema começa justamente quando o objetivo é alcançado (os tantos mil reais). Penso que se experimenta uma sensação semelhante ao do alpinista cuja meta é escalar uma montanha. Quando ele chega ao cume do monte não há mais o que ser feito, não há mais objetivo a ser alcançado. Só resta descer.

Da mesma forma que o alpinista busca um monte mais alto para subir, aquele que busca a felicidade no dinheiro irá propor a si mesmo uma nova meta de “tantos mil reais” ou “tantos milhões de reais”. Simplesmente não tem fim.

Mais miserável ainda é aquele que se propõe uma meta de “tantos mil reais” e não a alcança. Será perpetuamente frustrado e infeliz. Jamais irá experimentar a felicidade, nem mesmo aquela passageira proporcionada pela meta alcançada. Irá passar a vida inteira se lastimando, acreditando que a felicidade realmente está em cifrões, quando na verdade não está.

A felicidade verdadeira só pode ser encontrada quando aquele vazio interior é preenchido. Esse vazio tem um nome, ETERNIDADE. E somente Aquele que é eterno pode preencher esse vazio no coração do homem. Infelizmente as pessoas estão sempre procurando outras fontes de gozo e felicidade, mas se esquecem do Criador, o único que pode nos fazer plenos.

Uma vida com Deus é cheia de alegrias (Salmo 16.11). É indescritível a sensação de saber que se é amado incondicionalmente. De que independente de merecimento ou de erros cometidos, Deus nos ama e ponto final. É indescritível ser habitado por seu Santo Espírito. É inenarrável a paz proporcionada pela certeza da salvação e pela certeza de que Deus nos acompanha onde quer que estejamos (Salmo 139.7-12).

E o mais incrível é que tudo isso está à disposição de quem desejar. De graça. Basta apenas confessar a Jesus Cristo como Senhor e Salvador e entregar a vida a Ele.

Com toda certeza, aquele que se entrega a Deus, desfruta da mais plena felicidade, assim como tem a garantia de uma vida próspera e prazerosa. A simples presença de Deus produz felicidade, prazer e prosperidade.

Não entenda por prosperidade uma vida isenta de problemas, uma fortuna no banco, carros importados e mansões. Entenda por prosperidade bíblica uma paz interior que vai além dos seus problemas, comunhão profunda com Deus, boa saúde, harmonia em seu lar e família, ser bem sucedido em tudo o que faz e não ter falta de nada.

É verdade que aquele que crê em Deus recebe galardões (Hebreus 11.6), ou seja, presentes, e esses presentes são para tornar a nossa existência mais prazerosa (pura bondade de Deus), mas esses presentes não devem ser o nosso foco, pois eles não são a verdadeira Felicidade. A verdadeira Felicidade tem nome de gente: JESUS.

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Cristão Protestante Reformado, membro da 1.ª IPI - Limeira-SP. Graduado em Tecnologia em Processamento de Dados pela FATEC (Unesp). Hoje trabalho como consultor em negócios imobiliários. Pós-graduado em Especialização em Estudos Teológicos, pela Mackenzie (CPAJ). Falo Inglês muito bem e espanhol porcamente. Sou muito bem casado e tenho dois filhos maravilhosos.

Seguidores

Twitter

Ocorreu um erro neste gadget

Siga por e-mail

Sobre este blog