A Verdadeira Felicidade - uma vida com Deus

Por Paulo Dib



Muitas pessoas já fizeram a seguinte pergunta: “O que é felicidade?”.

Muitos não sabem ou não souberam responder. Outros tantos deram repostas das mais variadas possíveis:

- "Felicidade é Dinheiro no bolso"

- "Felicidade é ter uma vida bem sucedida"

- "Felicidade é ter uma família grande e unida"

- "Felicidade é não ter problemas"

- "Felicidade é ter saúde"

- "Dinheiro não traz felicidade, mas manda trazer…"

Enfim, cada um idealiza um perfil de felicidade. Geralmente esse perfil contempla posses materiais ou o gozo dos chamados “prazeres da carne”.

No entanto, esses tipos de “felicidades” não são reais, uma vez que todos eles são efêmeros, perecíveis ou corruptíveis. A felicidade proporcionada pelos “prazeres da carne” dura alguns instantes, mas logo se vai, e logo volta o vazio interior. É uma felicidade passageira. É o que geralmente causa os vícios e compulsões, visto a necessidade de preencher esse vazio de novo, de novo e de novo…

O dinheiro e as posses materiais são semelhantes aos prazeres da carne, trazem bem estar por algum tempo, mas essa sensação logo passa.

Tão logo a sensação de “felicidade” proporcionada pelo dinheiro e pelas posses se vai, tão logo fica um vazio interior novamente. Esse vazio tem que ser preenchido. É a partir daí que se abre espaço para a ganância, para a busca desenfreada por dinheiro e bens. É algo que nunca tem fim. Quem tem como ideal de felicidade o vil metal nunca alcança contentamento. Quanto mais tem, quanto mais quer.

Alguns até tentam ser “humildes” e traçam uma meta: “Quando eu tiver tantos mil reais, daí sim estarei satisfeito”. Durante o percurso para se alcançar a meta a pessoa fica “feliz” pela motivação de alcançar a meta desejada. O problema começa justamente quando o objetivo é alcançado (os tantos mil reais). Penso que se experimenta uma sensação semelhante ao do alpinista cuja meta é escalar uma montanha. Quando ele chega ao cume do monte não há mais o que ser feito, não há mais objetivo a ser alcançado. Só resta descer.

Da mesma forma que o alpinista busca um monte mais alto para subir, aquele que busca a felicidade no dinheiro irá propor a si mesmo uma nova meta de “tantos mil reais” ou “tantos milhões de reais”. Simplesmente não tem fim.

Mais miserável ainda é aquele que se propõe uma meta de “tantos mil reais” e não a alcança. Será perpetuamente frustrado e infeliz. Jamais irá experimentar a felicidade, nem mesmo aquela passageira proporcionada pela meta alcançada. Irá passar a vida inteira se lastimando, acreditando que a felicidade realmente está em cifrões, quando na verdade não está.

A felicidade verdadeira só pode ser encontrada quando aquele vazio interior é preenchido. Esse vazio tem um nome, ETERNIDADE. E somente Aquele que é eterno pode preencher esse vazio no coração do homem. Infelizmente as pessoas estão sempre procurando outras fontes de gozo e felicidade, mas se esquecem do Criador, o único que pode nos fazer plenos.

Uma vida com Deus é cheia de alegrias (Salmo 16.11). É indescritível a sensação de saber que se é amado incondicionalmente. De que independente de merecimento ou de erros cometidos, Deus nos ama e ponto final. É indescritível ser habitado por seu Santo Espírito. É inenarrável a paz proporcionada pela certeza da salvação e pela certeza de que Deus nos acompanha onde quer que estejamos (Salmo 139.7-12).

E o mais incrível é que tudo isso está à disposição de quem desejar. De graça. Basta apenas confessar a Jesus Cristo como Senhor e Salvador e entregar a vida a Ele.

Com toda certeza, aquele que se entrega a Deus, desfruta da mais plena felicidade, assim como tem a garantia de uma vida próspera e prazerosa. A simples presença de Deus produz felicidade, prazer e prosperidade.

Não entenda por prosperidade uma vida isenta de problemas, uma fortuna no banco, carros importados e mansões. Entenda por prosperidade bíblica uma paz interior que vai além dos seus problemas, comunhão profunda com Deus, boa saúde, harmonia em seu lar e família, ser bem sucedido em tudo o que faz e não ter falta de nada.

É verdade que aquele que crê em Deus recebe galardões (Hebreus 11.6), ou seja, presentes, e esses presentes são para tornar a nossa existência mais prazerosa (pura bondade de Deus), mas esses presentes não devem ser o nosso foco, pois eles não são a verdadeira Felicidade. A verdadeira Felicidade tem nome de gente: JESUS.

Ativismo Religioso - Fuja Disso!!

Querido Leitor, estou de volta!! Sei que já faz algum tempo que não escrevo nada por aqui, se não me engano, mais de um mês. Foi pura falta de tempo. Mas estou de volta. E dessa vez para abordar um tema importante e controverso, O Ativismo Religioso.

Como bem escreveu a Pra. Iara Diniz, "o ativismo religioso é um inimigo voraz e implacável que tem atacado a Igreja. Voraz, implacável, asqueroso, mas também sutil e dissimulado".

O Ativismo é um inimigo sutil e dissimulado porque ele é gerado, nutrido e fortalecido dentro da própria Igreja, porém de uma forma bem aceita e justificada, com os rótulos de "ministério" ou "Obra de Deus" ou "Chamado".

Eu já escrevi aqui há alguns meses atrás à respeito da falta de tempo, da sindrome da pressa, do excesso de atividades que todos nós temos diariamente devido ao rítimo frenético da "vida moderna", e de como tudo isso tem afetado a espiritualidade do homem e sua relação com Deus e com a Igreja. (Veja o post: Falta de tempo - Loucura do fim dos tempos).

Nos dias de hoje, muitas pessoas, que são sim servos de Deus, apaixonados pela Obra e conscientes da Grande Comissão, têm sido afetadas pelo ativismo religioso, pela ânsia de resultados evangelísticos e pelo "crescimento" da Igreja.

A questão é que essas pessoas se preocupam demais em "fazer a obra do Senhor" e se esquecem de que Ele é o Senhor da obra, e de que Ele faz a obra e apenas nos chamou para sermos cooperadores dessa obra.

O que se instalou nas igrejas dos dias de hoje foi uma preocupação exarcebada com a performance e com os resultados. Criou-se também a cultura da pressa e a cultura do "se matar pelo ministério" ou "dar o sangue pela igreja" ou ainda, e mais bonito, "se anular pela obra de Deus".

O que vale hoje para a maioria dos líderes é quantas almas seus liderados alcançaram, quantas pessoas evangelizaram, quantos folhetos distribuiram, de quantas reuniões e eventos participaram e ajudaram a realizar. Não importa muito como anda o convívio familiar, qual o nível de comunhão que esse liderado tem com Deus e com a Palavra, ou o quanto ele se deixou transformar pelo Espírito Santo. Resultados, é só o que importa. Eventos bem feitos, cultos muito bem organizados e abarrotados de gente.
Liderado bom é aquele que participa de toda a programação da igreja local, abrindo mão de tudo. Isso sim é uma "pessoa de fé", um "crente espiritual".

Esses líderes cobram tudo isso de seus liderados e vivem de forma semelhante, ou seja, vivem baseados em resultados e em acumular atividades e responsabilidades em seus ombros, abnegando coisas de suma importância como tempo em família, cuidado com a própria saúde, tempo de oração de qualidade, descanso, férias, lazer, etc.

Coisas essas que a um primeiro olhar, com os óculos da religião, soam como pecado, frescura ou coisas desnecessárias. Alguns dizem: "Enquanto eu cuido da obra de Deus, Ele cuida da minha família"(Eu só não sei em que parte da Biblia isso está escrito!). Outros dizem: "Deus preserva minha saúde", errado! A responsabilidade de cuidar da nossa saúde é nossa, tendo boa alimentação, dormindo adequadamente, descansando um dia da semana, tendo lazer, etc.

Há ainda aqueles que digam: "Férias? Meu descanso é no céu", é, realmente o seu descanso é no céu, o problema é que você pode ir descansar lá mais cedo por causa de um infarto ou derrame.

Eu não quero aqui desestimular o trabalho ministerial na Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, ou dizer que a Igreja pode se acomodar e não fazer absolutamente nada para alcançar os perdidos. Isso seria loucura, algo totalmente sem nexo e sem base na Palavra.

O meu objetivo é levá-lo(a) caro(a) leitor(a) a uma reflexão sobre o que temos feito como Corpo de Cristo. Quais são as nossas verdadeiras prioridades? Onde estamos errando? Qual é o ponto de equilíbrio nisso tudo?

O trabalho ministerial é tão honroso como qualquer outro, na minha opinião é o mais digno de todos, uma vez que este trabalho é voltado para o serviço dentro da casa do Senhor e para o resgate dos perdidos. É maravilhoso ver homens e mulheres que renunciam a muitas coisas, como por exemplo profissões bem sucedidas, para se dedicar em tempo integral na obra de expansão do Reino.

No entanto, é absurdamente triste constatar o desequilíbrio que há hoje na maioria das igrejas e de seus líderes. É assustador ver famílias cristãs sendo destruídas por conta da inversão de valores e da inversão de prioridades. Maridos que colocam seus ministérios dentro da igreja acima de suas famílias. Mulheres que abdicam do cuidado com o lar, com os filhos e com o marido para se atolarem de atividades ministeriais. Filhos que praticamente moram dentro da igreja e mal convivem com seus pais.

Isso é uma total inversão de prioridades! Deus está acima de tudo, e isto é inquestionável. Porém, depois de amar a Deus com toda a nossa alma e com todo o nosso entendimento, nossa segunda prioridade é a família, e em terceiro lugar vem o trabalho, seja ele ministerial ou não.
E o que vemos hoje? Homens que são excelentes sacerdotes na igreja, mas que negligenciam suas esposas e filhos. Homens que não oram com suas esposas, que não namoram suas esposas.

Esposas que negligenciam seus maridos, deixando de exercer o papel de auxiliadora e companheira, "abandonando" seus lares para passar a maior parte do dia dentro da igreja ou inserida em alguma programação ministerial.

E essa inversão de valores e de prioridades tem ocasionado problemas gravíssimos, tais como adultério, divórcio, filhos rebeldes e envolvidos com drogas, filhos que se desviam dos caminhos do Senhor, desunião familiar, e por aí vai.

Sem contar que o acúmulo de tarefas tem criado líderes e ministros sobrecarregados e doentes. Doentes fisicamente, pois negligenciam necessidades e cuidados básicos com a saúde, e doentes espiritualmente também, uma vez que a qualidade do relacionamento com Deus decaí muito, seja pela falta de tempo para exercer essa comunhão, seja por errôneamente basear esse relacionamento na performance, como se Deus nos hovesse contratado para sermos "funcionários ministeriais".

Não se esqueça, leitor querido, que Deus nos escolheu por amor e o relacionamento que Ele quer conosco é baseado no AMOR! Não se esqueça também de que você não é o salvador do mundo, essa função já tem dono e Ele já exerceu seu papel muito bem.

Os resultados que você alcança ministerialmente não o fazem mais amado ou menos amado, você já é amado incondicionalmente.

Por fim, a mensagem que eu deixo é a seguinte: Trabalhe ministerialmente, invista em prol do Reino, alcance os perdidos, exerça misericórdia, resumindo seja um cristão saudável, mas em nome de Jesus tenha equilíbrio! Dê prioridade para a sua família, delegue funções para outras pessoas (não seja centralizador), tenha no MÍNIMO um dia por semana de folga e lazer com a sua família, pratique exercícios, cultive amizades, viaje, leia, estude, viva!

Lembre-se, dentro da Igreja, ministerialmente falando, você não é insubstituível. Se você morresse hoje, dentro de alguns dias alguém já estaria exercendo a sua função. Porém, para a sua família você é INSUBSTITUÍVEL. Pense nisso!

Doutrinas Bíblicas

Aos meus amados irmãos da MMF ou a quem possa interessar, deixo aqui apostila resumida sobre Doutrinas Bíblicas (Abordagem Pentecostal). Foi esse mesmo material que disponibilizei em forma impressa aos alunos da EBTM - 1.° Semestre/2009.

Clique aqui para baixar: http://www.4shared.com/file/126937064/4e24f62a/Doutrinas_Bblicas.html

Um grande abraço

Seitas e Heresias

Para todos os alunos da MMF - 4.º Módulo ou a quem possa interessar, disponibilizo apostila resumida sobre Seitas, Heresias e Religiões.

O objetivo deste estudo não é provar que somos "a única igreja correta", pois quem age dessa forma são grupos sectários que sempre acabam pelas veredas das heresias. O objetivo é simplesmente fazer uma análise desses grupos sectários e não permitir que seus erros doutrinários nos influenciem.


Clique aqui para baixar:
http://www.4shared.com/file/126104525/e2c29600/Aula_Seitas.html

Brasil - Todos Iguais, mas uns mais iguais que os outros

Hoje pela manhã, não sei porque, me lembrei de um causo que me ocorreu há alguns meses atrás e que ilustra muito bem a desigualdade neste país.

Calma querido leitor! Esse escriba amador não é daqueles que só ficam criticando o país, o governo, os políticos, o povo, etc. e etc. Não sou assim, e nem é esse o meu objetivo nessa postagem, ou seja, apenas criticar. Meu objetivo é pura e simplesmente relatar um causo que me ocorreu, causo este que eu lembro sempre com uma dose de bom humor, no velho "rir para não chorar"; e que pelo menos esse causo cause (sem trocadilhos) uma reflexão sobre nossa realidade e nosso país.
....
Vamos lá!
Novembro de 2008, estava agendada a minha cirugia refrativa dos olhos (traduzindo: cirurgia para corrigir miopia). Finalmente iria me livrar daquele incômodo e limitante par de óculos!! Minha alegria naquele dia era imensa, e olha que eu nem era tão cegueta assim, mas o fato de poder ser independente das lentes me trazia uma satisfação incrível.
Consultei um ótimo oftalmologista, que me deu todas as informações necessárias sobre o procedimento e também aquela dose de confiança para fazer a cirurgia, afinal, eu estava confiando a minha visão em suas mãos.
Após acertar os detalhes e pagamento da cirurgia, sim, pagamento, pois plano médico nenhum cobre esse tipo de cirurgia, a menos que vc seja um Mr. Magoo e tenha 6,0 graus de miopia; o médico me informou que a cirurgia seria realizada no Hospital de Olhos de Sorocaba (referência nacional)
...
A princípio eu pensei que fariamos o procedimento em São Paulo, pois a maioria dos oftalmologistas realizam cirurgias particulares por lá. No entanto, ele me garantiu que o hospital em Sorocaba era melhor e possuia equipamentos melhores.
Tudo bem, pensei eu, se lá é melhor, vamos lá! E realmente não tenho do que me queixar.
O mais engraçado é que alguns dias antes da cirurgia, havia passado na televisão uma reportagem sobre o Hospital de Olhos, relatando sua excelência e referência nacional, assim como o atendimento gratuíto pelo SUS (com filas intermináveis).
Bem, vamos ao que interessa! Chegou o tão aguardado dia! Segui o mapa que o médico havia feito e encontrei o hospital. Assim que cheguei ao prédio, que era numa esquina, tomei um grande susto! Me deparei com um páteo grande, lotado de gente, filas e mais filas, crianças catarrentas, idosos esperando por horas a fio, enfim, uma típica cena de SUS.
...
Mal adentrei o prédio e já ouvia pessoas reclamando com frases do tipo: "não aguento mais! Já é a terceira vez que venho aqui e não consigo agendar a cirurgia". Isso já tinha me desanimado e eu pensei com meus botões: "não vou operar meus olhos neste lugar, não!".
Após alguns instantes localizei um balcão de informações e me dirigi para lá. Logo à minha frente estava um casal de idosos que saiu do balcão com a seguinte resposta da atendente: "A máquina está quebrada. O técnico só vem na próxima semana". Nessa hora eu já estava convicto, não iria operar alí, e ponto final.
Por via das dúvidas conversei com a atendente:
- "Oi... aahn... eu tenho uma cirurgia agendada com o Dr. Fulano de Tal...
- "Ah, sim. É particular?" questionou a atendente.
- "Sim", respondi
- "O sr. entrou no portão errado. Dobre a esquina, continue na mesma calçada e entre no portão A".
- "Ok, muito obrigado"
...
Caro leitor, quando andei alguns metros, dobrando a esquina e chegando ao portão A, literalmente parecia que eu havia mudado de país. Me deparei com um hospital novo, moderno, com acabamento requintado, portas automáticas e tudo mais. Atendimento de primeiríssima qualidade. Tudo impecável.
Fui muito bem recepcionado, muito bem atendido antes e após a cirurgia, enfim, recebi todo o conforto e atenção que o meu dinheiro pôde pagar.
...
E justamente esta questão financeira que me entristeceu, mostrando claramente que no Brasil, pelo menos perante a Constituição, todos são iguais, porém, na prática, alguns são mais iguais que os outros. Graças a Deus eu tenho condições de arcar com despesas desse tipo. Mas a minha indagação e indignação é: E quanto aos milhões de pessoas que não podem sequer arcar com um convênio médico? É justo isso? É correto?
...
Num país que se diz cristão, ao meu ver, isso é inadmissível! E nós como cidadãos devemos tomar posição contra essa insensatez, fazendo aquilo que está ao nosso alcance. Protestando, cobrando de senadores, deputados, governadores, prefeitos e vereadores que foram eleitos para isso! Não votando em pessoas que notadamente são desonestas ou que estão envolvidas em escândalos políticos!
Faça a sua parte! Pode parecer pouco diante de um país tão grande, mas é a sua parte!

Falta de tempo - Loucura do Fim dos tempos!!

Você já reparou que ultimamente...
Ei... ei.... aonde você vai???
Sem essa de que não está com tempo p/ ler esa postagem!!
É justamente sobre essa "falta de tempo" que eu quero falar.
Onde eu parei mesmo?? Ah, sim! Você já reparou que ultimamente uma das maiores reclamações das pessoas é justamente a falta de tempo. Talvez essa seja também a sua reclamação.
.
Eu, infelizmente tenho de confessar que também tenho sofrido desse mal. A falta de tempo!
Por vezes fico me questionando, por quê nos falta tempo? Por quê não consigo fazer tudo o que "preciso fazer" ou tudo aquilo que planejei fazer?
Isso, na minha opinião já um sinal do fim dos tempos! Não que os dias estejam passando mais rápido, ou que os ponteiros do relógio tenham enlouquecido e andem em rítimo frenético.
Mas a "vida moderna" nos impõe esse rítmo alucinante, afinal de contas, com diz o outro "tempo é dinheiro".
.
Essa vida moderna nos impõe vários compromissos ou atividades diárias, muitas delas até mesmo dispensáveis, mas que surgem a nossa frente como emergências ou urgências. E essas emergências ou urgências nos tomam mais tempo ainda.
Esse acúmulo de "coisas para fazer" aliado ao trânsito caótico, pessoas lerdas andando na rua, internet que trava, vendedores que batem à nossa porta e falam sem mesmo dar tempo para você respirar e dizer: "... obrigado, mas não estou interessado", acabam nos gerando o famoso stress.
.
Crianças, pasmem, apresentam sinais de stress com 5 ou 6 anos de idade. E isso é um fato comprovado, não apenas por este escriba amador que vos fala, mas por psicólogos e terapeutas mundo a fora.
Também pudera, as crianças da vida moderna não têm mais o direito de serem o que deveriam, CRIANÇAS! Ao invés disso, pais neuróticos e influenciados pela Sindrome da Pressa que já tomou conta de suas vidas, matriculam seus filhos em tudo o que seja possível matricular: Escola Regular, Balé, Futebol, Natação, Inglês, Espanhol, Francês, Esperanto, Economia doméstica, Corte e costura... ufa! Quando a criança finalmente consegue um tempo livre, ela nem tem mais forças para exercer o que deveria ser a sua principal atividade, BRINCAR como criança!
Tudo isso, dizem os pais, "para que meu filho esteja preparado para o mundo globalizado e competitivo de hoje". Pobres crianças, mal sabem os seus pais que aliado ao estímulo cognitivo devem estar também o comportamental (Inteligência comportamental) e também o lúdico, para que a criatividade da criança seja estimulada ao máximo.
.
Investir somente no cognitivo pode até formar pequenos gênios, mas pequenos gênios infelizes e frustrados que tendem a ser adultos infelizes e frustrados e que, justamente por serem infelizes e não estarem acostumados a ser criativos poderão ser depressivos ou ainda ter uma auto-estima aquém do normal, o que fatalmente fará com que alcancem posições mediocres (o oposto do sonho de seus pais).
.
Os adultos de hoje então, nem se fale, não têm tempo nem de ir ao banheiro p/ fazer o n.° 2 !
É uma loucura sem tamanho. Stress no trânsito, stress na rua, stress no trabalho, stress na fila da padaria, enfim, as pessoas sempre estão com pressa. E muitas vezes essa pressa é ocasionada pelo acúmulo de tarefas para se realizar dentro de 24 horas, por outras vezes é somente a Sindrome da Pressa.
A sindrome da pressa faz a pessoa ter pressa para ir ao trabalho, pressa para terminar logo suas atividades, pressa ao conversar com amigos, pressa para almoçar, pressa para ir embora do trabalho, pressa no trânsito, pressa na fila da padaria, pressa para chegar logo em casa. E quando chega em casa não tem nada para fazer! É um estranho paradoxo.
Muitos ficam até angustiados pelo ócio, até mesmo com o ócio saudável chamado DESCANSO ou FÉRIAS.
.
Pode parecer impressionante, mas a Sindrome da pressa afeta até mesmo a comunhão com Deus e o serviço ministerial. Na maioria das Igrejas Cristãs criou-se também a cultura da pressa e a cultura do "se matar pelo ministério" ou "dar o sangue pelo ministério/igreja".
É certo que o trabalho ministerial é tão honroso ou mais do que qualquer outro, e que ele também demanda tempo e dedicação. No entanto, atualmente está havendo uma certa inversão de valores. Morrer pela causa de Cristo é uma coisa, morrer pela igreja local ou ministério é outra completamente diferente e que não cabe no mesmo contexto hermenêutico.
Líderes ungidos e abençoados acabam por abnegar suas vidas por completo para "viver o chamado de Deus" e obrigam seus liderados a viver da mesma forma, se esquecendo, porém, de que a família é o principal ministério de qualquer sacerdote.
Se esquecem ainda que o sábado (descanso) foi feito para ser guardado, que amigos existem para estar perto e curtir bons momentos, que há muitos prazeres nesta vida que podem e devem ser gozados de forma abençoada por Deus, como por exemplo reunir a família num almoço de domingo, jogar conversa fora com os amigos ou viajar, enfim, há uma infinidade de coisas. Deus não nos criou para sermos escravos Dele ou "super funcionários ministeriais", mas nos criou para que fossemos felizes
.
Não quero aqui defender a idéia de se fazer as coisas do Senhor relaxadamente (c/ falta de zêlo), mas defendo o equilíbrio. E esse equilíbrio se aplica à vida de qualquer pessoa, sendo ela Cristã ou não.
Eu já sofri muito com a Sindrome da Pressa e até estou "atolado" de coisas para fazer: meu trabalho, minha empresa, minha família, minha vida ministerial (que são 3 ministérios diferentes). Mas graças eu dou ao meu bom Deus que já me libertou da Síndrome da Pressa e tem aberto os meus olhos para viver de forma mais equilibrada. Me lembrando ainda que eu não sou o salvador do mundo, Jesus Cristo o é!
Por certo essa leitura tomou algum tempo seu, mas espero que tenha servido para alguma coisa, pelo menos para que você, caro leitor, possa refletir um pouco, ser menos apressado e aproveitar os pequenos prazeres da vida, que alías é curta.
.
Tchau!

Crise! Que Crise?? Depende do ponto de vista

Crise! Que Crise?? Depende do ponto de vista!

O que mais ouvimos falar nos últimos 3 ou 4 meses foi a respeito da Crise Financeira que afeta o mundo todo. A cada dia somos bombardeados pela mídia com notícias ruins a respeito da crise, previsões catastróficas de “especialistas” (queria saber de onde surge tanto especialista nestas horas!), notícias de desaceleração de economias, diminuição da produção industrial e demissões em massa.

Mas será que nós realmente paramos para refletir sobre essa enxurrada de informações que nos chegam diariamente? Ou apenas vamos engolindo tudo o que os “especialistas” dizem e a mídia nos vende?

De uma coisa eu tenho plena certeza, notícia boa não dá IBOPE! Já notícia ruim, por sua vez… bem você entendeu!

O ponto que eu quero chegar é que, embora esse seja um momento de pouca abastança no mercado mundial, a crise tem sido uma espécie de terrorismo lucrativo. Isso mesmo, terrorismo. Seguem-se dias a fio notícias ruins e de maus indicadores econômicos, o que acaba gerando insegurança na população em geral e no pequeno investidor que vez por outra se aventura na Bolsa de Valores e no mercado de ações. Isso gera automaticamente queda no preço das ações. E essa queda é aproveitada por espertalhões.

Você pode se perguntar, mas ações não oscilam sempre entre altas e baixas?
Respondo eu, claro que sim, e isso é normal do mercado. O que eu quero dizer é que, sem sombra de dúvidas, os grandes investidores, os magnatas, os políticos e os especuladores (que ganham dinheiro sem produzir absolutamente nada) já sabiam de antemão sobre a quebra dos bancos americanos e resultado disso tudo.

Trocando em miúdos, sabiam da iminência da crise, venderam suas ações na alta e, agora, criam um cenário de terror para que os preços caiam ao nível mais baixo possível, para comprar novamente as mesmas ações a preço de banana.

A crise americana era previsível, era apenas questão de tempo, só não enxergou isso quem não quis.
O cenário já se montava desde 2001: O mercado imobiliário americano passou por uma fase de expansão acelerada logo depois da crise das empresas "ponto com", em 2001. Os juros do Federal Reserve (Fed, o BC americano) vieram caindo para que a economia se recuperasse, e o setor imobiliário se aproveitou desse momento de juros baixos. A demanda por imóveis cresceu, devido às taxas baixas de juros nos financiamentos imobiliários e nas hipotecas. Em 2003, por exemplo, os juros do Fed chegaram a cair para 1% ao ano.
Em 2005, o "boom" no mercado imobiliário já estava avançado; comprar uma casa (ou mais de uma) tornou-se um bom negócio, na expectativa de que a valorização dos imóveis fizesse da nova compra um investimento. Também cresceu a procura por novas hipotecas, a fim de usar o dinheiro do financiamento para quitar dívidas e, também, gastar mais (consumismo desenfreado).
As empresas financeiras especializadas no mercado imobiliário, para aproveitar o bom momento do mercado, passaram a atender o segmento "subprime". O cliente "subprime" é um cliente de renda muito baixa, por vezes com histórico de inadimplência e com dificuldade de comprovar renda. Esse empréstimo tem, assim, uma qualidade mais baixa --ou seja, cujo risco de não ser pago é maior, mas oferece uma taxa de retorno mais alta, a fim de compensar esse risco.
Após atingir um pico em 2006, os preços dos imóveis, no entanto, passaram a cair: os juros do Fed, que vinham subindo desde 2004, encareceram o crédito e afastaram compradores; com isso, a oferta começa a superar a demanda e desde então o que se viu foi uma espiral descendente no valor dos imóveis.
Com os juros altos, o que se temia veio a acontecer: a inadimplência aumentou e o temor de novos calotes fez o crédito sofrer uma desaceleração expressiva no país como um todo, desaquecendo a maior economia do planeta --com menos liquidez (dinheiro disponível), menos se compra, menos as empresas lucram e menos pessoas são contratadas.
*


Traduzindo, o povo americano hipotecou até a própria mãe para poder saciar o seu frenético consumismo, hipotecas essas que eram muitas vezes refeitas e que comprometiam 40%, 50% da renda mensal. Resultado, a maioria dos americanos não conseguiu quitar suas dívidas, deram um belo calote nos bancos e os bancos quebraram. É uma matemática bem simples.

É claro que em tempos de globalização não podemos ignorar o que acontece nos outros paises e tratar cada caso como um fato isolado. Inevitavelmente acaba refletindo em nós e em nosso cotidiano.

Era sabido que aquele consumo alucinante que estava ocorrendo até meados de 2008 uma hora iria acabar, afinal nem todo dia é dia de festa. Financiamentos super facilitados, juros baixos, compras sem entrada. Compre hoje e só comece a pagar em 60 dias!! Pura ilusão.

O que não podemos agora é ficar aterrorizados, chorando e dizendo: “socorro, alguém faça alguma coisa!!… Obama nos salve!”.
A crise nem sempre é má, e ela pode gerar pelo menos dois resultados distintos: Crescimento para aqueles que não se deixam abater e com ousadia aproveitam as oportunidades que a crise cria, ou Bancarrota e mediocridade para os medrosos que ficam a repetir como papagaios os noticiários econômicos e se acovardam ao invés de agir.

Acho que você, caro leitor, já entendeu onde quero chegar. Se não entendeu te dou uma força.
Trabalhe, arregace as mangas, lute pelas oportunidades. Se você por ventura perdeu o emprego, não fique apenas se lamentado e enviando currículos sem fim. Aja! Tome uma atitude. Não espere que algo caia do céu. Tão pouco espere algo do governo. Use a criatividade que Deus te deu. Venda alguma coisa, ofereça um serviço que você saiba fazer, dê aulas, enfim, se vire!

Entenda que o emprego formal com carteira assinada e benefícios mil está se tornando coisa do passado. Estamos na era da prestação de serviços, terceirização e “venda de conhecimento”. Abra uma empresa se possível, ou monte um home-office, mas faça algo.

Por fim, quero dizer que só morre por causa da crise aqueles que não confiam em Deus, pois para quem está em Cristo, crise é oportunidade de crescimento, seja pessoal, profissional ou espiritual.

Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo – Josué 1.7a
* Fonte: Folha Online

Barack Obama, solução para o planeta??

Nesta segunda postagem, gostaria de expor algumas considerações a respeito de Barack Obama, sua posse e, principalmente a cobertura jornalística sobre o fato.

Antes de qualquer outra coisa, digo que não sou contra Barack Obama. No entanto, também não sou a favor. Apenas não sou contra!
Mantenho, por enquanto, uma posição neutra em relação ao primeiro presidente negro da terra do Tio Sam.

Porém, algo me chamou muito a atenção nesses últimos dias e, em especial, na data de posse de Obama, e foi justamente a expectativa do povo americano e de todo o planeta em relação a esse "self-made man". Todos o tratam como se ele fosse uma espécie de Messias, aguardado há tempos, para resolver os problemas do mundo e a tão tenebrosa crise econômica.

As pessoas só se esqueceram de duas coisas importantes. A primeira é que o Messias que havia de vir já veio, e seu nome é Jesus Cristo. A segunda coisa é que Obama, assim como eu ou você, caro leitor, é apenas humano, sujeito às mesmas falhas e dissabores.

O que eu quero dizer é que criou-se uma expectativa tão grande em cima de um único homem, como se ele sozinho fosse capaz de solucionar todas as mazelas do mundo e, num passe de mágica, desfazer todas as insanidades deixadas por seu antecessor, George W. Bush.

A imprensa então, nem se fale. Essa é especialista em criar ídolos para serem venerados pelas massas. Cobertura quase que 24 horas sobre a posse de Obama, "especialistas" e comentaristas querendo fazer considerações e previsões sobre o governo Obama. O circo montado foi tão grande, a cobertura tão exagerada, que só faltou algum repórter noticiar o primeiro pum de Obama na Casa Branca, ou algum paparazzo tirar uma foto da primeira "arte barroca" (cocô) de Obama na Casa Branca. Tenham dó.

Um jeito definitivo nesta terra, somente Jesus é capaz de dar, e Ele dará, após arrebatar a Sua igreja, o Anti-Cristo ter se manifestado e a Grande Tribulação ter ocorrido. No milênio sim, as coisas serão perfeitas e os homens terão vida longa como árvores.

Calma, querido leitor, meu objetivo nessa postagem não é fazer um sermão a respeito do apocalipse e das coisas futuras, talvez um dia eu faça isso, mas com certeza não é hoje.

Eu só queria mesmo deixar essas considerações, de que não se deve esperar tanto do Sr. Hussein Obama, podemos e devemos ser otimistas, isso faz bem a nós mesmos e aos que estão à nossa volta, mas nem tanto. Para messias, Obama está muito, muito longe.

Até a próxima postagem.

Iniciando o meu primeiro Blog

Sim, é isto mesmo, esse é o meu primeiro Blog! Acredite ou não, até hoje eu não possuia um Blog, não sei se isso é bom ou ruim, mas, enfim, agora tenho um Blog.

O que isso de fato irá acrescentar em minha vida eu ainda não sei ao certo. Espero que me auxilie no processo criativo e na elaboração de textos, pois amo escrever. Espero também, com esse Blog, reunir amigos e pessoas interessadas em discutir temas diversos, exprimindo pensamentos, idéias, ideais e posições ideológicas.

Tenho posição religiosa, teológica e política bem definidas, no entanto, estou sempre aberto ao diálogo e pronto para ouvir novas idéias sem, contudo, abrir mão daquilo que acredito e/ou tenho como ideal.
E uma coisa é certa quanto às minhas posições, e disso eu não abro mão. Jesus é o Cristo, o Messias que havia de vir (e veio / se manifestou em carne), que foi morto e ressuscitou e hoje está assentado à direita de Deus - Pai o Todo-Poderoso, criador dos céus e da terra.

Bem essas são as primeiras palavras que eu gostaria de deixar nesta primeira postagem do meu primeiro Blog.

Eu ainda não descobri bem como utilizar todas as funções e recursos disponíveis, mas ainda chego lá.

Agora vou indo, afinal, agora é horário de trabalho.

Ocorreu um erro neste gadget

Quem sou eu

Minha foto
Cristão Protestante Reformado, membro da 1.ª IPI - Limeira-SP. Graduado em Tecnologia em Processamento de Dados pela FATEC (Unesp). Hoje trabalho como consultor em negócios imobiliários. Pós-graduado em Especialização em Estudos Teológicos, pela Mackenzie (CPAJ). Falo Inglês muito bem e espanhol porcamente. Sou muito bem casado e tenho dois filhos maravilhosos.

Seguidores

Twitter

Ocorreu um erro neste gadget

Siga por e-mail

Sobre este blog